Nuno Borges: «O meu objetivo não é entrar nos Grand Slams por um dois lugares»

Nuno Borges: «O meu objetivo não é entrar nos Grand Slams por um dois lugares»

Por Bola Amarela - dezembro 8, 2021
borges

Fresco do primeiro título Challenger na sua carreira, Nuno Borges teve um início muito complicado no Maia Open, ao perder onze pontos a abrir e deixou escapar o set inaugural. No entanto, reagiu rápido e garantiu o acesso à segunda ronda com um ambiente bem caseiro em que o público acabou por ter um papel importante na vitória.

“Foi divertido numa certa altura. O público sem dúvida que ajudou e foi um encontro bastante interessante com uma atmosfera diferente do normal. Até o meu adversário disse no final do jogo que gostou do público e do ambiente”, afirmou em conferência de imprensa, antes de abordar esse arranque em falso, dando mérito a Elmar EjupovicEstava confuso… Normalmente, no início do encontro há alguma hesitação. Talvez tenha entrado um bocadinho nervoso. Mas tenho de lhe dar muito mérito. Em 11 pontos, quem é que não falha um ou dois? Estava difícil porque não sabia muito por onde ir”destacou.

Questionado sobre a mudança de chip da conquista de um torneio para o arranque de outro, Borges admitiu que é algo em que tem de trabalhar. “É algo que estou a aprender. A este nível não me tinha acontecido chegar ao fim de uma semana e depois chegar a meio do torneio seguinte. Joguei aqui toda a minha vida, mas de alguma maneira continua a ser difícil entrar logo bem. É mais nervosismo do que propriamente até as condições. Espero que com o decorrer da minha carreira consiga ser cada vez mais rápido a adaptar-me às condições e entrar melhor nas primeiras rondas”, confessou.

Certo é que Nuno Borges se sente mais solto por ter o seu lugar no qualifying do Australian Open garantido. No entanto, há algo que não deixou de apontar. “Não sei como seria se não estivesse bem para entrar na Austrália. Claro que estava ansioso, mas não era o fim do mundo se não fosse. O objetivo não é entrar por um ou dois lugares. É estar bem dentro e não estar preocupado. Só quero jogar o meu ténis e com o desenrolar dos torneios as coisas vão fluir”, rematou.

Nuno Borges dá a volta e faz ‘manita’ portuguesa no Maia Open

Bola Amarela