Após críticas, Federer explica por que joga exibições na América Latina em vez da ATP Cup

Por José Morgado - novembro 8, 2019
federer-london-eye

Roger Federer, número três mundial, seria naturalmente uma das estrelas da primeira edição da ATP Cup, em janeiro de 2020, mas decidiu… que não vai. O suíço de 38 anos justificou-se com ‘razões familiares’, mas foi muito criticado pelo facto de dar prioridade a encontros de exibição na América Latina — que vai jogar de 19 a 25 de novembro — em detrimento de uma prova que vale pontos ATP.

“Há muito que queria fazer esta digressão à América Latina. É algo que tenho adiado na minha carreira por questões de lesões ou de família, mas que agora é a minha prioridade. Quando a ATP Cup foi criada, sempre foi a minha vontade jogá-la. Queria muito e comprometi-me a fazê-lo quando saiu a lista. Mas depois percebi que o Stan Wawrinka não ia e que a minha família também não poderia viajar até Sydney. Nesse momento percebi que o melhor seria ficar em casa, a treinar e a preparar-me com mais calma para o Australian Open”, confessou em conferência de imprensa à margem do lançamento das ATP Finals.

Federer preparou as suas últimas três participações no Australian Open na Hopman Cup, em Perth, mas a competição foi extinta esta temporada para dar precisamente lugar… à ATP Cup.

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.