Zverev: «Estou feliz por demonstrar que posso jogar bem em torneios do Grand Slam»

Zverev: «Estou feliz por demonstrar que posso jogar bem em torneios do Grand Slam»

Por Tiago Ferraz - janeiro 29, 2020
Zverev

O tenista alemão Alexander Zverev parece ter ultrapassado os problemas do início da temporada, nomeadamente na ATP Cup, onde o seu serviço esteve desaparecido por completo, e já está nas meias-finais do Australian Open depois de vencer Stan Wawrinka.

No final do encontro, Alexander Zverev admitiu que o início do duelo foi complicado:

«Custou-me muito entrar no ritmo. Não sentia a bola durante o primeiro set, joguei todos os meus encontros de noite e isso fez com que me custasse a moldar às condições de hoje. A bola estava diferente, voava muito, e as pancadas com efeito ou as bolas pesadas do Stan fizeram estragos no meu jogo. Felizmente fui habituando-me e terminei a jogar muito bem. É fantástico ter dado a volta ao encontro da forma como fiz», disse Zverev.

Alexander Zverev disse ainda o que mudou em relação a outras participações em torneios do Grand Slam:

«Em torneios anteriores eu chegava a exigir muito de mim mesmo. Sentia-me favorito e com a obrigação de o demonstrar, era demasiado profissional. (…) A minha concentração era excessiva. O facto de eu ter jogado mal na ATP Cup fez com que eu chegasse aqui sem expectativas e isso ajudou-me a estar mais tranquilo e a desfrutar mais de tudo o que está à volta do torneio», referiu Zverev.

O tenista germânico falou ainda do seu estado de espírito dentro e fora do court:

«Tenho o meu melhor amigo comigo, a minha namorada, e uma equipa fantástica que sabe como me tratar. Os tenistas são pessoas complicadas, a modalidade é tudo para nós, e é necessário gerir isso. Estava há algum tempo a lutar comigo mesmo, com os meus medos e, nesse sentido, estou feliz por demonstrar que posso jogar ténis de grande qualidade com a minha equipa de sempre e em torneios do Grand Slam», concluiu.

 

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.