Darderi: "Vinha trabalhando bem, mas é muito surpreendente ganhar o meu primeiro título"

Darderi: “Vinha trabalhando bem, mas é muito surpreendente ganhar o meu primeiro título”

Por José Morgado - fevereiro 12, 2024

Luciano Darderi, de 21 anos, surpreendeu na última semana ao conquistar no ATP 250 de Córdoba o seu primeiro título no circuito principal. Ainda assim, o jovem que agora estreia no top 100 mundial não entra em euforias e mantém-se humilde de olho nos próximos objetivos.

CAMPEÃO EM CÓRDOBA

As sensações são incríveis, conquistar o título vindo do qualifying… acho que comecei a semana como número 136 do ranking, sabia que esta final era muito importante para a questão do ranking porque representava um salto enorme. Com este título acho que vou garantir a entrada em Roland Garros e Wimbledon, mais um sonho que poderei realizar. Fiquei um pouco nervoso no segundo set, admito, mas estou feliz por ter conseguido conquistar este título.

Leia também:

Vonn deixa mensagem emocionante a Federer: “Digam o que disserem os números, é o GOAT”
Wawrinka explica as diferenças de enfrentar Djokovic, Federer e Nadal
Rybakina não dá chances e conquista segundo título da temporada em Abu Dhabi

TÍTULO INESPERADO

No ano passado já tinha jogado aqui e não foi tão bem, mas a verdade é que este foi apenas o meu terceiro torneio ATP, por isso não esperava algo assim. Vínhamos trabalhando muito bem, é verdade, em 2023 tive muitos resultados, há poucos meses ganhei o meu primeiro Challenger, mas é muito surpreendente ganhar agora meu primeiro ATP. Mas nada muda, vou continuar treinando o máximo que puder para tentar competir com os melhores do mundo. É claro que se coisas boas acontecerem já, estarei pronto para elas!

ELOGIOS AO SEU SERVIÇO

É um trabalho de muitos anos, o meu pai me fez servir muito desde criança, um golpe que talvez não seja tão trabalhado aqui na Argentina [Darderi é italiano mas nasceu e cresceu na Argentina]. Insistimos sempre muito no serviço e agora estou começando a aproveitar. O meu irmão mais novo também joga e também serve muito bem. É fruto do trabalho diário com o nosso pai.

Apaixonei-me pelo ténis na épica final de Roland Garros 2001 entre Jennifer Capriati e a Kim Clijsters e nunca mais larguei uma modalidade que sempre me pareceu muito especial. O amor pelo jornalismo e pelo ténis foram crescendo lado a lado. Entrei para o Bola Amarela em 2008, ainda antes de ir para a faculdade, e o site nunca mais saiu da minha vida. Trabalhei no Record e desde 2018 pode também ouvir-me a comentar tudo sobre a bolinha amarela na Sport TV. Já tive a honra de fazer a cobertura 'in loco' de três dos quatro Grand Slams (só me falta a Austrália!), do ATP Masters 1000 de Madrid, das Davis Cup Finals, muitas eliminatórias portuguesas na competição e, claro, de 13 (!) edições do Estoril Open. Estou a ficar velho... Email: josemorgado@bolamarela.pt