Zvonareva continua a amar o ténis aos 36 anos: «Estou a desfrutar do tempo em court»

Zvonareva continua a amar o ténis aos 36 anos: «Estou a desfrutar do tempo em court»

Por Tiago Ferraz - novembro 12, 2020
zvonareva
Qualifying at the The Bank of England Sports Centre, Roehampton. The Championships 2018. Held at The All England Lawn Tennis Club, Wimbledon. {iptcdate}. Credit: AELTC/Jed Leicester

Vera Zvonareva, antiga número dois mundial, deu uma entrevista recente onde falou do final da carreira e fala das jovens que compõem o circuito atualmente.

“Quando eu tinha a idade delas era tudo diferente. Não tinha ideia do que era estar no circuito, não tinha experiência. As coisas pareciam fáceis ao princípio quando estava nos juniores. Nunca tive que jogar muitos torneios ITF porque a minha evolução profissional foi muito rápida. Subi na classificação em pouco tempo e nesse sentido comecei a dar as coisas como garantidas. Com a idade que tinha recordo-me que era muito difícil quando eu perdia encontros. Agora é tudo muito mais tranquilo, sou muito mais consciente dos altos e baixos que todos temos e, deste modo, acho que tenho que saber gerir”, disse, citada pelo Punto de Break.

Zvonareva, que tem atualmente 36 anos, ainda não pensa no final da carreira:

“Estou, simplesmente, a desfrutar do tempo em court. Quero jogar tantos encontros quanto for possível para conseguir prolongar a minha carreira. Talvez dure mais alguns meses ou anos, mas não consigo estabelecer um limite. Depois de tantos anos, o meu físico e a minha mentalidade mantêm-se a bom nível e ainda tenho vontade para competir. Se a minha forma de pensar se mantiver continuarei a jogar sem olhar para a idade que tenho”, referiu.

Ao longo da sua carreira Zvonareva conseguiu duas finais de Grand Slam na variante singular e ambas foram jogadas em 2010: uma em Wimbledon e outra no US Open, sendo que esta semana está a competir em Linz.

 

  • Categorias:
  • WTA
Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.