Zverev: «Quando um de nós (NextGen) vencer um Grand Slam tudo será mais fácil»

Zverev: «Quando um de nós (NextGen) vencer um Grand Slam tudo será mais fácil»

Por Tiago Ferraz - janeiro 23, 2020
zverev

O tenista alemão Alexander Zverev garantiu, esta quinta-feira, um lugar na terceira ronda do Australian Open e parece estar a (re)encontrar o seu melhor ténis depois de uma ATP Cup em que esteve muito abaixo do esperado para um tenista da qualidade que lhe é reconhecida.

Depois de ultrapassar o bielorrusso Egor Gerasimov na segunda ronda do primeiro Grand Slam da temporada Alexander Zverev disse o que pensou acerca do encontro:

«Foi uma vitória agradável, sinto que joguei melhor do que na primeira ronda, mas ainda tenho que melhorar algumas coisas. Em termos gerais, com sorte vou melhorando um pouco a cada dia que passa e, nesse sentido, veremos o que vai acontecer no próximo encontro. Sei que a partir de agora os encontros não serão mais fáceis, os adversários que venham serão muito mais difíceis e , por isso, vou necessitar de jogar o meu melhor ténis», assegurou.

Alexander Zverev foi ainda desafiado a tentar perceber o que mudará no circuito profissional de ténis no dia em que um tenista da NextGen vencer um Grand Slam e a resposta foi curiosa:

«No momento em que um de nós (NextGen) vencer um grande título tudo será mais fácil para os restantes. Estamos sempre a observar-nos. No dia em que venci o meu primeiro Masters 1000, de repente outros rapazes como, por exemplo, o Khachanov, Medvedev e o Thiem também o fizeram. Agora, o Daniil (Medvedev) chegou à final do US Open, veremos como isto irá afetar os outros jovens. Embora tudo tenha começado com Tsitsipas quando chegou às meis-finais aqui (Australian Open) há um ano (…) Acho que não queremos admitir, mas quando um de nós vencer um Grand Slam será positivo para os outros», ressaltou.

Alexander Zverev está na terceira ronda do Australian Open onde vai jogar com o espanhol Fernando Verdasco.

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.