Toni Nadal esteve em Lisboa e deixou esperança: «Rafa estará bem na Austrália»

Toni Nadal esteve em Lisboa e deixou esperança: «Rafa estará bem na Austrália»

Por Bola Amarela - novembro 27, 2021
Nadal
MELBOURNE, AUSTRALIA – FEBRUARY 13: Rafael Nadal of Spain celebrates after winning match point in his Men’s Singles third round match against Cameron Norrie of Great Britain during day six of the 2021 Australian Open at Melbourne Park on February 13, 2021 in Melbourne, Australia. (Photo by Andy Cheung/Getty Images)

Toni Nadal, tio e ex-treinador de Rafael Nadal, garante acreditar no regresso do tenista espanhol, a recuperar de uma lesão no pé direito, aos treinos sem limitações já em dezembro e referiu ainda que João Sousa voltará às boas exibições.

“[Nadal recuperado para o Open da Austrália?] Claro! Quero pensar que estará bem. Está a treinar, todos os dias um pouco mais e confio que, neste mês de dezembro, já pode voltar a treinar a ‘full’ e que tudo corra bem”, comentou o tio do detentor de 20 títulos do Grand Slam, à margem do Masters 2021 da Vanguard Stars, em Lisboa.

Falando para dezenas de jovens tenistas apurados para a final do circuito, Toni Nadal partilhou um pouco dos princípios e valores incutidos a Rafael Nadal desde a sua formação até aos dias de hoje, destacando a “boa educação, a intensidade, vontade de treinar e melhorar, saber ouvir e obedecer”. “Costumo dizer com a sua direita ganhou muitos pontos, mas com o seu caráter ganhou muitos encontros. Fui um treinador bastante duro e difícil para o Rafa. A vida de um desportista de alta competição é muito difícil e eu tentei, de uma forma simples, prepará-lo para isso. E fi-lo fortalecendo o seu caráter”, característica determinante, frisa, a par da “vontade de trabalhar mais que todos os outros e aprender”, para ser bem-sucedido.

Além de confessar que nunca pensou que o sobrinho, antigo número um mundial e atual sexto classificado, “fosse capaz de ganhar 20 torneios do Grand Slam”, embora antevisse “um bom jogador e a conquista de um ou dois ‘majors’”, o atual treinador do canadiano Felix Auger-Aliassime sempre defendeu que o “talento poucas vezes é determinante”. “A vontade de melhorar é o que faz a diferença”, acrescentou, apontando Cristiano Ronaldo e Lionel Messi como exemplos.

As lesões, reconheceu o técnico espanhol, “foram sempre os momentos mais complicados” na carreira do esquerdino de Manacor. “Quando o Rafa teve uma grande lesão [no pé esquerdo em 2004], foram momentos complicados, porque não sabíamos se poderia continuar ou não. Depois foi uma derrota ou outra em Roland Garros [Robin Soderling em 2009], no Open da Austrália e em Wimbledon. Mas foram, sobretudo, as lesões”, sublinhou.

Já em relação ao português João Sousa, que viveu uma temporada menos feliz e saiu do ‘top-100’ mundial, Toni Nadal admite desconhecer “se voltará ao seu melhor nível, quando tinha 27 ou 26 anos”, mas defende ainda ter condições e tempo, atendendo aos seus 32 anos, para voltar às boas exibições e vitórias. “Era um jogador de alta intensidade, às vezes os nervos tomavam conta dele e ficava frustrado em momentos chave. Era um tipo capaz de fazer coisas muito boas, mas no ténis o difícil é fazê-las durante muito tempo. Foi um grande jogador e pode voltar a ser evidentemente. Tinha de competir com [Novak] Djokovic, [Andy] Murray, [David] Ferrer e não é fácil ser melhor que estes. No final as diferenças são poucas, mas um pouco aqui e um pouco ali faz uma diferença maior”, lembrou.

Bola Amarela