Swiatek e o título em Roland Garros: «Sabia que era capaz de vencer Grand Slams»

Swiatek e o título em Roland Garros: «Sabia que era capaz de vencer Grand Slams»

Por Tiago Ferraz - outubro 13, 2020
swiatek

A jovem tenista polaca Iga Swiatek foi a grande surpresa da edição de 2020 do torneio de Roland Garros ao vencer a prova parisiense depois de bater na final a campeã em título do Australian Open Sofia Kenin.

Dias após a “festa”, a tenista polaca mostra ter muita confiança em si mesma:

“Fiz o que a minha equipa me sugeriu fazer. Confiei neles durante todo o torneio. Tenho consciência de que o instinto é uma das minhas grandes qualidades, mas acho que neste torneio a tática ajudou-me muito. às vezes, simplesmente, não penso e jogo o meu ténis porque normalmente sei como jogar e tenho as minhas próprias ideias. (…) Neste torneio confiei no meu treinador e fiz exatamente o que ele me pedia em cada encontro”, disse, citada pelo Punto de Break.

Iga Swiatek fala ainda da chave para o sucesso:

“Creio que para alcançar o sucesso é necessária uma combinação de instintos com jogo inteligente e tático para se ter sucesso. Sei que tenho qualidade e sei que deveria trabalhar mais um pouco a nível tático. Penso que neste torneio fiz tudo bastante bem”, realçou.

A tenista polaca falou ainda do facto de ter percebido que era capaz de vencer Grand Slams:

“Nunca houve um momento específico, mas também me dei conta que às vezes me sentia mal e que noutras vezes o meu nível de confiança era muito baixo. Pensei que não ia conseguir. Pensei nisso em Cincinnati. Ainda assim, u sabia que tinha potencial e sabia que podia vencer Grand Slams porque já tinha vencido Wimbledon em juniores no ano de 2018, mas claro que tinha dúvidas. Penso que, lá no fundo, sabia que podia fazer coisas muito boas dentro de um court de ténis, mas é difícil manter a confiança sempre”, ressalvou.

  • Categorias:
  • WTA
Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.