Sinner e o 1.º título ATP: «É uma grande alegria, mas ainda tenho muito que fazer»

Sinner e o 1.º título ATP: «É uma grande alegria, mas ainda tenho muito que fazer»

Por Tiago Ferraz - novembro 16, 2020
sinner-sofia

O tenista italiano Jannik Sinner conquistou, este sábado, o seu primeiro título ATP da carreira depois de vencer o torneio de categoria 250, em Sófia, batendo na final o canadiano Vasek Pospisil.

Numa entrevista ao site oficial da ATP o tenista italiano fala de alguns temas interessantes como é o caso da sua mentalidade, da formação tenística e projeta ainda aquilo que poderá ser o futuro dos tenistas italianos que fazem  parte de uma geração que promete dar que falar nos próximos anos no principal circuito masculino da modalidade e revela o que sentiu depois do título conquistado no último final de semana:

“Significa muito para mim ter vencido esta semana porque há muito trabalho por trás desta vitória e até se conseguir algo assim. Ainda que seja um processo pensado para o longo prazo por vezes precisas de ter alegrias como esta para saberes que o teu trabalho pode estar refletido em títulos. Vencer um torneio é um passo em frente e nesse sentido veremos onde poderei estar dentro de alguns anos”, salientou.

Jannik Sinner fala ainda do caminho que teve…Do Ski até à modalidade da bola amarela:

“O ténis foi, durante muito tempo, a minha terceira modalidade porque eu também jogava futebol. Acabei por abandonar o futebol porque queria ser eu a tomar decisões. A razão por que preferi o ténis ao ski é simples: acho que o ténis é mais divertido, tem margem de erro e de reação; já o ski é tudo muito mais mecânico. Se cometeres um erro estás eliminado”, referiu, citado pelo Punto de Break.

Recorde-se que o título de Jannik Sinner no ATP 250 de Sófia foi o primeiro e logo na primeira final ATP da carreira para o jovem italiano que se tornou, no último sábado, o primeiro tenista nascido no século XXI a conquistar um título ATP depois de derrotar Vasek Pospisil.

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.