Rublev fala do seu maior receio: «Tenho medo de que seja sorte»

Rublev fala do seu maior receio: «Tenho medo de que seja sorte»

Por Nuno Chaves - março 24, 2021
rublev-finals

Andrey Rublev até pode ter visto a sua impressionante série nos ATP 500 chegar ao fim, ainda assim, não é por isso que deixa de ser um dos homens do momento.

O russo chega ao ATP 1000 de Miami com o estatuto de quarto cabeça-de-série, contudo, apesar da ambição… revela alguns receios. “Quero ser melhor e melhor. Isto não é sobre o que eu estou a fazer agora ou o que fiz antes. É sobre o que eu quero fazer a longo prazo e eu quero ser cada vez melhor. Tenho medo de que isto seja sorte, que não seja bom o suficiente. É por isso que quero continuar a trabalhar e ver se posso jogar ao mesmo nível, da mesma forma, durante um bocado”, confessou ao ATP Tour.

Mas afinal, quais são os receios de Rublev? “É aquele sentimento de isto não ser o suficiente. Medo de não conseguir ou medo de não ser bom durante muito tempo. Ainda assim, este medo ajudou-me a melhorar e é por isso que quero ser melhor e melhor. Se faço um erro, quero repeti-lo até ser perfeito. Preciso de ser perfeito em tudo”, explicou o número oito mundial.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.