Roland Garros: Novo court e mais dinheiro para os jogadores

Por Bola Amarela - 22 março, 2019

A dois meses de se abrirem os portões da catedral da terra batida, e numa altura em que o Miami Open roubas as atenções, Roland Garros decide dar um ar da sua graça, anunciando que vai brindar os jogadores com mais dinheiro e com um court a estrear nesta sua 123.ª edição.

A organização do segundo Grand Slam da temporada aumentou em 8 por cento o seu prize money, chegando aos 42,6 milhões de euros. Na prática, os campeões masculino e feminino de singulares vão receber 2,3 milhões de euros, mais 4,5 por cento do que na edição de 2018, ao passo que os vice-campeões sairão de Paris com 1,18 milhões de euros cada um (mais 5,36 por cento).

Mas o aumento mais significativo acontece na primeira ronda. Quem não passar da estreia leva para casa 46 mil euros, mais 15 por cento do que no ano passado. Nove por cento é o aumento registado nos quartos-de-final (415 mil euros). Mais dinheiro também para os pares. Os campeões vão receber 580 mil euros e os finalistas derrotados 290 mil euros, resultado de um aumento de 3,5 por cento em ambos os casos.

Valores que ficam aquém do Grand Slam mais ‘rico’ dos quatro, o Open dos Estados Unidos (46,4 milhões de euros), mas que ultrapassam o montante entregue pelo Open da Austrália (2019), 33,9 milhões de euros e por Wimbledon (2018), 34 milhões de euros.

A juntar às novidades monetárias, o novo Court Simonne-Mathieu, em homenagem à antiga jogadora gaulesa. “Esta inauguração junta o antigo e o moderno. Foi acima de tudo uma grande campeã, tão perseverante quanto Roland Garros. Depois de seis finais perdidas, ela ganhou duas vezes em singulares, 1938 e 1939, alcançando um feito sem precedentes, em 1938, ao vencer singulares, pares e pares mistos”, disse o presidente da Federação Francesa de Ténis (FFT), Bernard Giudicelli, durante a apresentação do novo estádio, nesta quinta-feira.

Roland Garros realiza-se entre 26 de maio e 9 de junho.