O que acontece ao ranking de Djokovic se não jogar o US Open?

O que acontece ao ranking de Djokovic se não jogar o US Open?

Por Nuno Chaves - junho 16, 2022
djokovic

O ano de 2022 está a ser um dos mais estranhos e insólitos da carreira de Novak Djokovic. O tenista sérvio tomou a opção de não se vacinar, o que o fez perder vários torneios no início do ano como o Australian Open ou os Masters 1000 de Indian Wells e Miami.

Entretanto, o agora número três mundial conseguiu competir durante a temporada de terra batida sem qualquer restrição e vai também conseguir disputar o torneio de Wimbledon, ainda assim, no verão os problemas prometem estar de volta.

Ao dia de hoje, os Estados Unidos não estão a permitir a entrada no país de pessoas não vacinadas contra a covid-19, o que pode levar Djokovic a falhar os Masters 1000 do Canadá e de Cincinnati, o ATP 500 de Washington e, claro, o US Open.

Caso se confirme esta decisão dos Estados Unidos é certo que Djokovic vai voltar a ter uma queda acentuada no ranking mundial. Primeiro porque não vai conseguir defender os 2000 pontos em Wimbledon, Nole já sabe que vai sair do All England Club fora do top 5 mundial, mesmo que volte a vencer o torneio (vai sair do top 5 pela primeira vez em quatro anos) e, para piorar a situação, uma não presença no US Open implica a perda de mais 1200 pontos, o que poderia colocar em perigo a presença do sérvio no top 10 mundial e, claro, nas ATP Finals de Turim.

Na hipótese deste cenário se confirmar, não era de estranhar que Djokovic investisse (e muito) na temporada asiática para tentar recuperar tempo perdido e lutar por uma presença nas Finals de 2022. Certo é que o caminho para lá chegar parece que vai ser tudo menos fácil.

 

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.