Nadal respira de alívio: «Acordo e não sinto a dor que tinha no último ano e meio»

Nadal respira de alívio: «Acordo e não sinto a dor que tinha no último ano e meio»

Por Pedro Gonçalo Pinto - junho 25, 2022

Esta sexta-feira foi dia de antevisões para grande parte das estrelas em Wimbledon e Rafael Nadal não faltou à chamada. O espanhol, atual detentor dos títulos do Australian Open e de Roland Garros, voltou a atualizar o estado do seu pé esquerdo e mostrou-se confiante para atacar o troféu no All England Club.

COMO ESTÁ O PÉ ESQUERDO

É óbvio que se estou aqui é porque estou melhor. Se não, não estaria aqui. Estou muito contente pela evolução. Não posso estar super feliz porque não sei o que vai acontecer, mas posso falar do que tenho sentido nas últimas duas semanas. Posso caminhar com normalidade quase todos os dias. Para mim esse é o principal problema. Quando acordo já não sinto a dor que tinha no último ano e meio. As sensações gerais são positivas. Nos treinos tenho estado melhor. Nas últimas duas semanas não tive nem um desses dias terríveis em que não me conseguia mexer. Tive dias melhores e piores.

HIPÓTESES EM WIMBLEDON

Em 2003 nunca pensei que algum dia ia ganhar ou ter hipóteses de ganhar Wimbledon. O meu objetivo era melhorar dia a dia para ter a hipótese de ser competitivo no futuro. Hoje é uma história diferente. Já tive sucesso aqui, é sempre um objetivo. Em comparação com outras superfícies, tens de pensar um pouco mais sobre o que pode acontecer. Cada vez que vais para court podes perder ou ganhar.

BALANÇO DA ÉPOCA

Os últimos seis meses de 2021 não foram fáceis. Nem o início de 2022, mesmo que tenha tido um início incrível de época. Não foi fácil mesmo. Em termos de sofrimento diário foi duro. Em termos de resultados de ténis, foram seis meses incríveis e positivos. Desfruto porque foram inesperados. Agora há que continuar. O principal é desfrutar do meu trabalho diário.

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.