Murray tem um dilema para o início de 2020 e admite: «Preciso de decidir mas está muito difícil»

Por Nuno Chaves - 13 setembro, 2019

Andy Murray continua a trabalhar no duro para recuperar o seu nível a singulares e prova disso é o facto de ter mais quatro torneios confirmados para jogar no que resta da temporada. Só que o grande objetivo do antigo número um mundial é estar pronto para atacar 2020, sendo que o primeiro passo passa por chegar bem ao Open da Austrália, ainda assim, já está com um daqueles dilemas para o início da próxima época e que tem de resolver nas próximas… horas.

É que para o Reino Unido ter mais possibilidades de jogar a ATP Cup, a nova competição de seleções que se vai jogar de 3 a 12 de janeiro, Murray teria de usar o estatuto de ranking protegido… só que o mesmo não sabe se o quer fazer.

É certo que o britânico quer competir mas, contudo, não sabe se este é o melhor torneio para o fazer. “Preciso de decidir sobre isto já e está muito difícil porque não quero jogar se não for o melhor para mim ou para o meu país. Se usar o ranking protegido vou como número 1 da equipa e isso é uma grande responsabilidade à qual não sei se consigo dar uma resposta”, afirmou o tenista de 32 anos.

“O Open da Austrália é a minha máxima prioridade e sei que preciso de competir antes de ir a Melbourne. A oportunidade de jogar três encontros na ATP Cup é fantástica, mas não quero arriscar. Além disso, numa competição por equipas sinto que devem ir os melhores. Se for à ATP Cup é para jogar singulares mas preciso de estar muito bem fisicamente, por isso, estou com um dilema importante”, admitiu Murray, citado pelo The Age.

Certo é que Murray vai ter de tomar uma decisão final… até ao final da tarde.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.