Medvedev: «Quando perdi o segundo set sabia que tinha de ser mais agressivo»

Medvedev: «Quando perdi o segundo set sabia que tinha de ser mais agressivo»

Por Tiago Ferraz - janeiro 21, 2020
medvedev-australian open 2020
Imagem:

O tenista russo Daniil Medvedev que começou o Australian Open com uma vitória difícil diante de Frances Tiafoe aproveitou a ocasião e, no final do encontro, teceu elogios ao adversário:

«O Frances é um grande jogador. Penso que já foi cabeça de série nalgum Grand Slam. Sabia que não ia ser fácil. Estou feliz pela vitória porque isso é o mais importante. As primeiras rondas num Grand Slam não são fáceis. Estou feliz por vencer e por não ter estado cinco horas em court», disse o russo.

 O tenista russo mostrou-se ainda desagradado com a forma como serviu e evidenciou isso mesmo no final do encontro:

«Penso que tenho muitas coisas a melhorar depois do que vi hoje especialmente no serviço. Não estou nada contente com o meu serviço. Como digo, o mais importante é a vitória a passagem à segunda ronda e a recuperação de sensações. Cada vez que o torneio avança vais sentindo-te melhor», afirmou Medvedev.

Daniil Medvedev falou ainda das condições do court e disse que o “frio” condicionou o modo de jogo:

«Hoje esteve frio. Não era demasiado, mas calor não estava. Isso fazia com que a bola estivesse demasiado rápida e tive algumas dificuldades para acelerar. Por exemplo: para ele era mais fácil, mas para mim é melhor quando está mais calor uma vez que a bola vai mais rápida sem necessitar da minha “ajuda”. Tive que me adaptar a essa variante durante o encontro. Quando perdi o segundo set sabia que devia ser mais agressivo porque ele “apertou-me” mais no court. As condições em Melbourne mudam de dia para dia e não se sabe como vão estar na quinta-feira», concluiu.

Daniil Medvedev volta a jogar esta quinta-feira diante do espanhol Pedro Martínez Portero.

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.