Judy Murray aprova serviço por baixo de Kyrgios: «Ele é um génio»

Por Bola Amarela - 26 março, 2019

Uns mais apreciados do que outros, Nick Kyrgios tem tirado vários coelhos da cartola esta semana, em Miami. No seu último encontro, que lhe valeu a passagem aos oitavos-de-final do Masters 1000 da Flórida, EUA, o australiano de 23 anos sacou de um que não deixou ninguém indiferente: o serviço por baixo.

As hostes dividem-se. Há quem considere um atentado ao ténis e há, por outro lado, os que vêem esta pancada frouxa como a estratégia ideal para deixar o adversário desorientado logo ao abrir da jogada. Judy Murray, afirma-se como uma acérrima defensora deste último ponto de vista.

“O grande objetivo no ténis é perturbar o jogo dos adversários, colocando-lhes pressão, alternando entre mudanças de velocidade, spin, direção, profundidade e altura da bola. E isso inclui o serviço. O Kyrgios é um génio. Fico admirada por ver que não há mais jogadores a fazerem o mesmo”, escreveu a mãe de Andy Murray na sua conta do Twitter.

Quando confrontada por um seguidor sobre a possibilidade de estar a exagerar ao usar a palavra “génio”, Judy Murray volta a sair em defesa de Kyrgios. “Muitas pessoas pessoas não percebem os génios. Elas tentam fazer com que ele se adapte à realidade que entendem. Ele tem um instinto e uma visão estranhos. É mentalmente inconsistente, mas, para mim, continua a ser um génio”.

 


Federer vota a favor


Já em Acapulco, no México, Kyrgios se tinha aventurado no serviço por baixo, mas sem sucesso, contra Rafael Nadal. Questionado sobre a façanha, Roger Federer assumiu-se a favor. “O serviço por baixo é usado como estratégia, principalmente quando o adversário está muito atrás da linha de fundo. Desse ponto de vista, não se devia ter vergonha de o usar. Porque não tentar? O problema é que não se treina. E quando se está no encontro, num court em frente a tanta gente, é complicado de puxar por ele”.