Ferrer: «Ninguém é número três do mundo sem talento, quem diz isso não percebe nada de ténis»

Ferrer: «Ninguém é número três do mundo sem talento, quem diz isso não percebe nada de ténis»

Por Nuno Chaves - dezembro 18, 2018

David Ferrer vai entrar na última temporada da sua longa carreira. O espanhol realiza o último torneio em Madrid e numa conversa com o El Mundo abordou temas muito interessantes e de enorme reflexão.

Ferrer recordou os últimos tempos, onde tem andado mais longe das vitórias. “Tive momentos maus. Estar longe de tudo, ter derrotas… mas os momentos bons compensam. Quando tens uma derrota dura consegues-te desculpar no dia seguinte. Apenas precisas de um dia tranquilo, sozinho e em silêncio”, afirmou o tenista de 37 anos.

Conhecido pelo seu espírito de combatividade, Ferrer deixou também um recado. “Ser top 3 sem talento? Isso não existe. Ninguém pode ser número três do mundo sem talento, quem diz isso não percebe nada de ténis”, afirmou o antigo número três mundial.

Um dos motivos para as épocas mais discretas do espanhol são as dores no tendão de aquiles. A garantia foi dada pelo próprio. “Dói-me há cinco ou seis anos e cada vez sinto mais dores. Espero que se cure e recupere bem ao deixar o circuito, mas não creio que me vejam a correr uma maratona. Não consigo correr mais de 40 minutos”, atirou.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.