Federer recorda 'inferno' na infância: «Não era feliz»

Federer recorda ‘inferno’ na infância: «Não era feliz»

Por Tiago Ferraz - maio 28, 2020
Roger-Federer
Tennis – Australian Open – Third Round – Melbourne Park, Melbourne, Australia, January 18, 2019. Switzerland’s Roger Federer in action during the match against Taylor Fritz of the U.S. REUTERS/Aly Song – UP1EF1I0LA6Q8

Roger Federer tem uma carreira recheada de sucesso, mas na sua infância nem tudo correu da melhor forma possível e o suíço recordou tudo.

Tudo aconteceu quando os pais de Federer queriam que o suíço fosse para o centro nacional de ténis de Ecublens, na Suíça, por pensarem que esta seria a melhor opção para o seu filho, mas Federer não gostava (nada):

“Simplesmente não era feliz ali. Estava longe dos meus pais e não falava nada de francês. Não tinha amigos. Não encontrava motivação e estava triste muitas vezes”, revela no livro Roger Federer, à procura da perfeição.

Com efeito, Federer revelou aos seus pais que não queria voltar para a escola de Ecublans: “Queria ao meu lugar, mas os meus pais convenceram-me a ficar”, disse, citado pelo Punto de Break.

 

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.