Djokovic constrói o seu jogador perfeito e não coloca Federer por uma razão

Por Nuno Chaves - fevereiro 13, 2020

Durante as Davis Cup Finals, Novak Djokovic foi desafiado a desenhar o seu jogador perfeito e, como seria de esperar, o resultado foi muito interessante, uma vez que deu para perceber a forma como o atual número um mundial vê o ténis.

Ora, de referir que Djokovic não colocou em qualquer das pancadas o nome de Roger Federer, uma vez que o sérvio só podia escolher jogadores que estivessem a disputar as Davis Cup Finals – algo que não aconteceu com o suíço.

Eis o jogador perfeito para Novak Djokovic, dentro daqueles que estavam disponíveis:

Direita: Rafa Nadal

“É uma das melhores direitas de todos os tempos. Dá muito efeito e faz com que a bola seja muito pesada. Também pode bater chapado quando está num canto, ou mesmo dentro do court. É uma arma muito consistente que usa para colocar pressão no rival mas também para defender e voltar ao ponto”.

Esquerda: David Goffin

“Gosto muito da sua esquerda a duas mãos. É muito plana, o que significa que gosta de bater na bola muito cedo, o que lhe permite comandar o ponto. Não falha muito de esquerda. Tem um swing natural e pode fazer uma paralela ou cruzada”.

Talento: Félix Auger-Aliassime e Denis Shapovalov

“São os dois únicos, cada um à sua maneira. São diferentes mas muito jovens e ainda falta muito para alcançarem o seu maior potencial. São dois bons rapazes, muito simpáticos e dedicados. Têm um futuro brilhante pela frente”.

Mentalidade: Rafa Nadal

“Nunca se rende. Tem sempre espírito de luta e atitude em court”

Condição física: Gael Monfils

“Pode abrir as pernas, pode deslizar, pode saltar… é muito dinâmico, muito forte. É o desportista perfeito”

Serviço: Nick Kyrgios

“Tem um serviço incrível. Tem um movimento de serviço muito natural e dinâmico. É um serviço muito difícil de se ler. Independentemente da superfície tem um serviço muito potente”

Resposta:

“Posso escolher-me a mim mesmo?”

Volley: Herbert e Mahut

“O Mahut, especificamente, tem muito boas mãos. Na rede também é muito rápido”

Jogo de pés: Goffin, Nadal e Simon

“O principal que destaco no jogo de pés é a ligeireza dos pés. A habilidade de mudar de direção e estar equilibrado para a pancada seguinte”

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.