Depois de Roger Federer, agora é o Credit Suisse a reagir às acusações de Greta Thunberg

Depois de Roger Federer, agora é o Credit Suisse a reagir às acusações de Greta Thunberg

Por Nuno Chaves - janeiro 13, 2020

A polémica instalou-se quando Greta Thunberg pediu que Roger Federer deixasse de ser embaixador do Credit Suisse, por considerar que este é um dos bancos que mais contribui para o investimento em companhias que exploram os combustíveis fósseis.

Desde aí, o próprio Federer reagiu a estas acusações e agora foi a vez do Credit Suisse se pronunciar publicamente sobre as palavras da jovem ativista.

“A mudança climática é um dos desafios mais urgentes que o nosso planeta enfrenta. O Credit Suisse compromete-se a desempenhar um papel fundamental na luta contra este problema, ao promover um diálogo transparente com todas as nossas partes interessadas, para enfrentar o desafio das mudanças climáticas diretamente com as nossas comunidades”, pode ler-se, em comunicado.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.