Cibulkova: «Ainda estou a tremer, é o momento mais feliz da minha vida»

Por admin - 30 outubro, 2016

Se isto não parece coisa de argumentista. Foi a penúltima jogadora a garantir o lugar em Singapura e nunca se tinha apurado para tal restrita prova até então, mas roubou a cena por completo à jogadora que, veja-se bem, foi a grande protagonista da presente temporada.

Sem perceber muito bem como, diz ela, mas com uma atitude de quem sabia exatamente o que estava a fazer, dizemos nós, Dominika Cibulkova rejeitou o papel secundário reservado para si no WTA Finals e o final feliz é dela. “Ainda estou a tremer”, desabafou visivelmente feliz a eslovaca assim que pegou no microfone durante a cerimónia de entrega de prémios.

“Este é um grande momento para mim e para a minha carreira. É o grande momento da minha carreira. É difícil descrever o que sinto. Não há palavras, qualifiquei-me pela primeira vez, é a maior vitória da minha carreira. Continuo sem perceber. Só me lembro do match point. É o momento mais feliz da minha vida”, confessou Cibulkova.

Com um golpe de felicidade no match point, a número oito mundial, que amanhã vai surgir pela primeira vez na carreira no top-5 do ranking mundial, diz ter tido a sorte que lhe escapou no duelo da Round Robin diante de Angelique Kerber, a quem fez questão de agradecer pela forma inspiradora como actuou esta temporada.

“Angelique, parabéns pelo grande ano, foste uma inspiração para mim, ao jogares tão bem. [Mostraste que] com muito trabalho tudo é possível. Por isso, obrigada”, referiu a eslovaca. “Mentalmente entrei muito forte, joguei bem. Hoje tive muita sorte no final, tudo se ajeitou para que este momento me acontecesse”, analisou a jogadora de 1,60m, que sempre soube que “não é preciso ser grande para ser grandiosa”.