Brady e a passagem às meias: «Era fantástico se tivessem estado 20.000 pessoas a assistir»

Brady e a passagem às meias: «Era fantástico se tivessem estado 20.000 pessoas a assistir»

Por Tiago Ferraz - setembro 9, 2020
brady

A tenista norte-americana Jennifer Brady continua a dar que falar na edição de 2020 do US Open e já está nas meias-finais da prova depois de vencer a cazaque Yulia Putintseva.

No final do duelo a norte-americana disse que o que ia na alma:

“Se as pessoas estivessem presentes teria sido algo fantástico ter a experiência de ouvir um apoio forte e o ‘calor’ do Arthur Ashe. Teria desfrutado muito, de certeza, mas sabemos que isso não é possível. Estu feliz por continuar em prova e talvez o encontro tenha sido um pouco mais fácil para mim sem público”, revela, citada pelo Punto de Break.

Jennifer Brady falou ainda do momento em que decidiu mudar a sua vida:

“Houve uma grande mudança de atitude, esta é a principal diferença. Neste momento, consigo aproveitar a vida a cada momento, tenho uma visão positiva constante tanto dentro como fora dos courts. Estou orgulhosa da minha mudança de mentalidade e pelo facto de ter conseguido manter-me firme a jogar e a competir para conseguir melhorar”, disse.

Jennifer Brady vai jogar com a nipónica Naomi Osaka no duelo que vai definir uma das finalistas da edição de 2020 do US Open.

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.