ATP Finals: seis (das muitas) razões pelas quais não pode perder a final

ATP Finals: seis (das muitas) razões pelas quais não pode perder a final

Por José Morgado - novembro 22, 2020
medvedev-thiem-final

Dominic Thiem, austríaco de 27 anos que ocupa o terceiro lugar do ranking ATP, e Daniil Medvedev, russo de 24 que está no quarto posto da classificação mundial, defrontam-se este domingo, pelas 18 horas (transmissão Sport TV em Portugal), na final das ATP Finals, o último torneio da temporada no principal circuito masculino e o evento mais importante logo depois dos Grand Slams.

E se uma final do ‘Masters’ é, por si só, um encontro imperdível, esta tem uma série de condimentos adicionais que prometem acrescentar alguma emoção ao duelo ao duelo entre aqueles que têm sido os dois melhores jogadores do Mundo nos últimos anos logo depois do denominado Big Three.

SEIS RAZÕES PARA VER ESTA GRANDE FINAL:

— ELES VERGARAM AS LENDAS. Thiem e Medvedev chegam à final das ATP Finals numa semana em que já derrotaram tanto Novak Djokovic como Rafael Nadal. O austríaco bateu o espanhol na fase de grupos e o sérvio nas meias-finais, ao passo que o russo fez o contrário. Desde 2010 (Roger Federer) que nenhum jogador batia Rafa e Nole na mesma edição das ATP Finals. Este ano… tivemos dois!

— SEXTO CAMPEÃO DIFERENTE SEGUIDO. Pela segunda vez na história do torneio (depois de 1973-1978), vamos ter seis campeões distintos em seis anos seguidos. Depois de Djokovic (2015), Andy Murray (2016), Grigor Dimitrov (2017), Alexander Zverev (2018) e Stefanos Tsitsipas (2019), chegou a vez de encontro mais um vencedor diferente. Quem será?

— MEDVEDEV À PROCURA DE HISTÓRIA. Depois de derrotar os dois primeiros do ranking, Medvedev pode tornar-se no quarto jogador nos últimos 30 anos a derrotar todo o top 3 mundial na mesma semana. David Nalbandian (Madrid 2007 — Federer, Nadal e Djokovic), Djokovic (Montreal 2007 – Federer, Nadal e Roddick) e Boris Becker (Estocolmo 1994 — Sampras, Ivanisevic e Stich) foram os únicos.

— RUSSO QUER IGUALAR DAVYDENKO E DJOKOVIC. Se ganhar hoje, Daniil Medvedev fecha com chave de ouro 12 anos de ATP Finals em Londres que começaram… com um título russo. Nikolay Davydenko venceu a primeira edição do Masters na O2, em 2009, e Medvedev pode novo título à Rússia em 2020. Caso vença, Daniil torna-se também no segundo jogador da história a perder todos os seus encontros na estreia nas Finals a ganhar a edição seguinte. Aconteceu o mesmo com Novak Djokovic em 2007 e 2008.

— THIEM PRÓXIMO DE REGISTO COM 15 ANOS. Se vencer hoje, Thiem ficará apenas a 225 pontos do número dois mundial, atualmente ocupado pelo espanhol Rafael Nadal. A última vez que tivemos um top 2 ATP que não foi Federer, Nadal, Djokovic ou Murray foi em julho de 2005: Lleyton Hewitt. Houve 18 diferentes números três ATP desde então.

— DOMI SABE SILENCIAR MEDVEDEV. O russo tem sido o melhor jogador da semana — nenhuma derrota e apenas um set perdido — mas também tinha vencido todos os 15 sets disputados no US Open 2020… até ser ‘arrumado’ pelo austríaco em três sets.

Uma coisa é certa: é muito difícil prever quem vai vencer esta edição da prova. Ainda que a vontade popular pareça dar vantagem à causa de Thiem, as casas de apostas dão favoritismo a Medvedev.

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.